quarta-feira, 6 de maio de 2015

O 2 em 1 de abril e um bolinho xadrez


Com calma vou colocando aqui um pouco dos aniversários de abril. 
Com muita sorte, quase todos os anos consigo juntar o aniversário do meu marido ao meu, pois só temos 4 dias de diferença e assim acabamos por só fazer 2 festas em abril em vez de 3!


Gosto de fazer sempre bolos diferentes e para este aniversário apeteceu-me fazer um bolo parecido com o bolo xadrez... Pois, não é um bolo xadrez, porque não levou o creme em toda a volta e o recheio é de chocolate em vez de ser o creme branco habitual.


O bolo não correu da melhor maneira, pois o bolo de chocolate esfarelou-se muito quando o cortei e assim foi difícil fazer o xadrez, mas gostei e talvez um dia com mais calma volte a fazer e saia mais perfeitinho. 


Aqui fica a receita...

Para o bolo branco:
260g de açúcar amarelo;
200 g de farinha com fermento;
8 ovos;
1 colher de sobremesa de fermento;
1 colher de sobremesa de essência de baunilha;
Sumo de ½ laranja;
Margarina para untar.

Para o bolo preto:
260 g de açúcar amarelo;
200 g de farinha com fermento;
60 g de chocolate em pó;
8 ovos;
1 colher de sobremesa de fermento;

Para o creme e cobertura:
200 g de chocolate em barra de culinária (usei Nestlé);
2 dl de natas.

Pode fazer os dois bolos ao mesmo tempo se tiver formas iguais. Como não tenho fiz um bolo de cada vez, untando a forma e forrando com papel vegetal.

Bolo branco:
Bata os ovos, adicionando o açúcar aos poucos, até ficar um creme esbranquiçado e fofo. Junte a essência de baunilha e o sumo de laranja, bata mais pouco, adicione depois a farinha peneirada com o fermento e envolva suavemente.
Verta para uma forma e leve ao forno a 180ºC até estar cozido.

Bolo preto:
Bata os ovos com o açúcar, depois junte a farinha peneirada com o chocolate em pó e o fermento e envolva. Deite para uma forma e leve ao forno até ficar bem cozido, tal como o anterior. Desenforme e deixe arrefecer. Corte depois os dois bolos ao meio e em 3 circulos e reserve.

A cobertura e creme:
Leve um tacho ao lume com as natas, deixe ferver, retire do lume, junte o chocolate picado e mexa bem até ficar um creme liso quase frio.

Barre uma metade de bolo branco com creme, coloque por cima uma metade de bolo escuro, barre novamente e repita até ficar com as 4 metades do bolo sobrepostas. Alterne as cores em cada circulo que faz na montagem do bolo e vá barrando com o recheio de chocolate. Regue o bolo de modo a que fique totalmente coberto ou então como eu acabei por fazer.
Pode enfeitar com chocolate granulado.

A bandeirola foi uma ideia que já vi em alguns blogs e acho que fica muito giro nos bolos de aniversário, esta foi feita por mim, mas já se encontram à venda nas lojas de material para bolos :)


segunda-feira, 4 de maio de 2015

Feliz Dia da Mãe!

 

Hoje não trago nenhuma receita, apenas um bolinho. Um bolinho que quis partilhar neste Dia da Mãe que acabou de terminar. Um bolinho que fiz com muito carinho, para ser partilhado com mais duas mães, daí as três rosas.

Porque ser mãe é viver com o coração nas mãos, é ralhar e amar ao mesmo tempo, é descobrir uma forma completamente diferente de amar, sem limites.

Só depois de ser mãe é que comecei a compreender melhor os meus pais, compreender o quanto difícil é para um pai/mãe tentar encaminhar o filho para o bom caminho, o quanto difícil é tomar decisões em que não temos a certeza que é a melhor escolha, mas que temos de deixar transparecer segurança e certeza. 

Mais palavras para quê? Feliz Dia da Mãe!








sexta-feira, 1 de maio de 2015

Tarte de frango e legumes e Dia Um... Na Cozinha!


O mês de abril é o mês das festas cá por casa. É um mês muito cansativo e dispendioso, mas seria incapaz de o deixar passar sem fazer todas as coisas que fui imaginando ao longo do ano.
Mas sobre festas de aniversário falarei nos próximos posts, onde vou mostrar um pouco como foram os 3 aniversários de abril.


Agora falando do que me trouxe aqui hoje... estive prestes a não participar neste Dia Um... Na Cozinha!. Depois de um mês tão atribulado, o que me apetece mais é descanso, mas com um tema tão tentador, ganhei coragem de manhã e lá saiu esta quiche que serviu de jantar.


E como já vem sendo hábito, aqui fica a receita:

Para a massa (fiz na MFP):

250g de farinha Branca de Neve com fermento;
125g de margarina;
Água q.b.;
1 pitada de sal.

Para o molho branco:

2 colheres de sopa de farinha Branca de Neve com fermento;
5 dl de leite meio-gordo;
4 ovos;
1 pitada de sal.

Para o recheio:
1 curgete;
2 cenouras;
2 batatas pequenas;
2 alhos francês;
300g de frango cozido;
Azeite q.b.;
Sal q.b.

Comece por fazer a massa. 
Como tenho a máquina de fazer pão, optei por colocar no programa pasta de massa (15 minutos). Coloca-se primeiro a margarina derretida, o sal, um pouquinho de água e a farinha. Põe-se a máquina a trabalhar e vai-se ajustando a quantidade de água. No final do programa, retira-se a massa, envolve-se em película aderente e vai ao frigorífico até ter o recheio e o molho branco feitos.

Para fazer o recheio, comece por refogar o alho francês cortado em rodelas no azeite. Em seguida junte ao alho francês os restantes legumes cortados em cubos pequeninos e o frango desfiado. Tempere com uma pitada de sal. Reserve.

Agora o molho branco... Dissolva a farinha no leite e leve ao lume até engrossar. Depois de retirar do lume, junte os ovos batidos e misture bem.

Forre uma tarteira com a massa. Pique com um garfo e coloque o recheio. Deite o molho branco com os ovos sobre o recheio e vai ao forno a 180ºC aproximadamente 50 minutos ou até estar dourado.



Espero que gostem!

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Pão de Ló


Para o almoço de Páscoa decidi fazer um Pão de Ló, já que é tradicional da época e não demora tanto tempo a fazer como um folar. 
Procurei um Pão de Ló fofinho e não podia encontrar receita mais fofinha que esta! 
É um bolo que não dá para rechear de tão fofo que é, mas mesmo simples é uma maravilha e esta receita vai direitinha para o meu Grande Livro das Receitas!


Fiz pequenas alterações e aqui fica a minha receita:

12 ovos;
24 colheres de sopa de açúcar amarelo;
Raspas de 1 limão;
1/2 colher de chá de essência de baunilha;
12 colheres de sopa de farinha com fermento;
1 colher de chá de fermento em pó.

Comece por untar muito bem uma forma redonda com buraco no meio com margarina e polvilhe com farinha.
Separe as claras das gemas.
Bata as gemas com o açúcar durante aproximadamente, 20 minutos. Até obter um creme fofo e clarinho.
Junte as raspas de limão e a essência de baunilha e bata mais um pouco.
Reserve e bata as claras em castelo bem firme. 
Peneire a farinha com o fermento e coloque na mistura dos ovos com o açúcar, alternadamente com as claras. Não bata, apenas envolva muito bem.
Pré-aqueça o forno a 200ºC e quando colocar o Pão de Ló, baixe para os 180ºC. Deverá ficar cozido em 40 minutos aproximadamente.
Deixe arrefecer um pouco e só depois desenforma.


Depois de comer umas fatias deste delicioso Pão de Ló, nada melhor do que ir dar um passeio ao parque para queimar calorias!
Já venho um pouco tarde, mas desejo que tenham passado uma boa Páscoa.


quarta-feira, 1 de abril de 2015

Folar de Olhão na MFP e... Dia Um... Na Cozinha!


A Páscoa está quase aí e como tal o desafio do Dia Um... Na Cozinha!  foi fazer um folar. 
Inicialmente tinha em mente um folar diferente, mas tanto adiei que o tempo ficou pouco e foi então que tive de pedir ajuda à minha máquina de fazer pão (MFP), para o fazer na integra, a tempo de participar.


Sempre que uma receita exige fermento de padeiro, ou amassar, não prescindo da minha máquina! É uma grande ajuda e foi uma boa compra. 

Partilho assim a receita deste folar convosco...

Sumo de 2 laranjas;
50g de água morna;
1/2 colher de chá de sal;
150g de margarina derretida;
1 cálice de aguardente;
500g de farinha sem fermento;
1 saqueta de fermento seco (eu uso da marca Vahiné).

Para o recheio:

75g de margarina derretida;
Açúcar e canela misturados q.b.

Colocam-se todos os ingredientes que fazem a massa, pela ordem descrita, na cuba da máquina de fazer pão. 
Seleciona-se o programa "pão doce" e deixa-se a máquina trabalhar.
Quando apitar, retira-se a massa, estende-se numa bancada enfarinhada e corta-se em rectângulos com um tamanho ligeiramente inferior ao da cuba da máquina.  
Retiram-se as pás da cuba e vai-se colocando rectângulo por cima de rectângulo, depois de barrar-se com a margarina e polvilhar-se com o açúcar e canela nos dois lados de cada rectângulo. Como a massa não é doce, pode polvilhar de forma generosa, pois vai ser o recheio que lhe vai dar o sabor.
No rectângulo que fica no topo, faz-se igual, unta-se com a margarina e polvilha-se com a mistura de açúcar e canela.
Volta a ligar-se a máquina e deixa-se terminar o programa.

Como já comecei a fazer tarde este folar, deixei a máquina a trabalhar durante a noite e de manhã tinha um belo folar para o pequeno almoço e ainda morninho!

Se tivesse feito atempadamente, teria colocado no programa de "Massa" e em seguida em vez de colocar as tiras de massa na horizontal, faria numa forma redonda e levava ao forno a levedar e cozer. A apresentação seria outra, mas em paladar seria igual... muito bom!


Espero que gostem e uma Boa Páscoa para todos!

domingo, 1 de março de 2015

Torta de Azeitão caseira e... Dia Um... Na Cozinha!



Como já sabem faço parte de um grupo fechado no Facebook que é o Dia Um... Na Cozinha! É um grupo muito simpático e do qual adoro fazer parte. Este mês o desafio foi virado para as tortas doces e após uma conversa no trabalho sobre o tema do mês, houve a sugestão de uma torta de Azeitão. 


Depois de uma breve pesquisa encontrei muitos blogs, muitos sites com receitas de tortas de Azeitão. Aproveitei o que de melhor tinham e fiz a minha torta.


Esta torta é deliciosa! A massa faz lembrar um bolo que adorava quando era mais pequena devido à leveza da massa, julgo que o seu nome era "guardanapo". Gostei muito e é muito rápida de fazer.


Deixo então a receita...

Para a massa:
10 ovos;
150g de açúcar branco;
50g de amido de milho.

Para o recheio:
6 ovos;
12 colheres de sopa de água;
6 colheres de sopa de açúcar branco;
1/4 de colher de sopa de amido de milho;
Canela em pó, q.b.


Para fazer a massa...

Separam-se as gemas das claras, cada um para seu recipiente.
Batem-se as gemas com o açúcar até fazer um creme muito fofo.
Junta-se o amido de milho peneirado ao creme.
Batem-se as claras em castelo e adicionam-se ao preparado anterior.
Unta-se uma forma, coloca-se papel vegetal e em seguida deita-se o creme na forma, deixando repousar cerca de 30 minutos. Este tempo vai fazer com que as gemas se separem das claras fazendo com que a torta fique com uma pequena camada que parece recheio em volta.


Enquanto a massa repousa faz-se o recheio...

Separam-se as claras das gemas. As claras podem congelar-se para fazer um outro doce noutra altura.
Coloca-se ao lume um tacho com a água e o açúcar e deixa-se ferver em lume brando até atingir o ponto pérola.
Batem-se as gemas com o amido de milho e quando a calda de açúcar estiver no ponto, adicionam-se lentamente algumas colheres da calda às gemas, para estas aquecerem sem cozerem.
Adiciona-se tudo ao tachinho e vai ao lume a engrossar sem parar de mexer.
Entretanto coloca-se a massa no forno pré aquecido a 200ºC durante aproximadamentte 15 minutos.
Quando a massa estiver cozida, retira-se do forno e coloca-se sobre uma folha vegetal para podermos retirar a que está agarrada à massa. Essa parte será o exterior da nossa torta. 
Volta a virar-se ao contrário e coloca-se o recheio e polvilha-se com canela. 
Agora é só enrolar, embrulhando em papel vegetal e reservar no frigorífico algumas horas ou de um dia para o outro.  


Esta torta desaparece num instante, não deixem fugir a vossa fatia!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Dia Um... Na Cozinha! Abóbora recheada com legumes, cogumelos e tofu


Porque a vida é assim, recheada de imprevistos, quase que não conseguia participar novamente, mas com um pouco de esforço cá estou! Cá por casa, com crianças, as doenças abundam... e se no domingo passado fui com a mais velha à CUF, por causa de uma amigdalite e otite, este domingo fui lá novamente mas com o pequenino, por causa de uma conjuntivite, otite e já agora um vírus pé-mão-boca! 


Dia Um... Na Cozinha! desafiou a fazer uma receita vegetariana, já fiz algumas, mas com tofu nunca tinha feito. Foi assim que aproveitei para gastar uma das abóborinhas da horta dos meus pais e experimentar uma receita com tofu. 


Aqui fica...

1 abóbora menina de 800g aproximadamente;
100g de cebola;
140g de tofu;
100g de cenoura;
1 lata pequena de cogumelos laminados;
60g de couve portuguesa;
Queijo mozarella q.b.;
Água q.b.;
1 cálice de vinho branco;
Azeite q.b.;
Vinho do Porto q.b.;
Sal grosso q.b.;
noz moscada q.b.

Lave e descasque as cenouras e as cebolas. Corte ambas em pedaços pequeninos. Reserve.
Lave a couve e corte em juliana bem fina em cima de uma tábua. Reserve.
Corte o tofu em cubos pequeninos e tempere com sal e noz-moscada. Reserve.
Corte a abóbora ao meio, retire as sementes e tente retirar o máximo do miolo da abóbora sem danificar a casca, de forma a poder rechear. Tempere com sal e embeba em vinho do Porto. Corte o miolo da abóbora em cubinhos pequeninos.
Coloque a cebola, cenouras, cogumelos e abóbora num tacho com azeite e leve a alourar em lume brando por volta de 10 minutos sem parar de mexer. Tempere com sal e adicione a couve, o tofu e o vinho branco aos poucos. Conte mais 15 minutos e durante esse tempo mexa e adicione água se necessário.
Verifique os temperos e recheie as duas metades da abóbora. Polvilhe com queijo mozarella e finalize com um fio de azeite.
Leve a gratinar em forno pré-aquecido a 180ºC até começar a ficar dourado.
Sirva com arroz ou uma salada.